40 anos de Apollo Explorando a lua, A descoberta da terra

Logo40thApollo

O logotipo utiliza uma versão modificada de uma imagem tirada a bordo da nave espacial Apollo 11 - Crédito: NASA

Quarenta anos depois

Quarenta anos atrás, os homens começaram a partir da Terra, pela primeira vez para deixar o nosso planeta natal em viagem para a lua.

De 1968 a 1972, astronautas da NASA testam  as novas naves espaciais Apollo e percorrem  destinos inexplorados.

Tudo começou em 25 de maio de 1961, quando o Presidente John F. Kennedy anunciou o objetivo de enviar astronautas à lua antes do final da década. Vindo apenas três semanas depois de Mercúrio o astronauta Alan Shepard tornou-se o primeiro americano no espaço, Kennedy’s havia lançado um arrojado desafio a nação,em uma viagem como nenhuma outra antes na história humana.

Oito anos de trabalho árduo por milhares de norte-americanos concluídos em 20 de julho de 1969, quando comandante da Apollo 11,Neil Armstrong pulou para fora do módulo lunar e teve “um pequeno passo” no Mar da Tranquilidade, chamando-lhe “um salto gigante para a humanidade “.

Seis das missões – Apollos 11, 12, 14, 15, 16 e 17 – Passaram a aterrar na lua, estudar mecânica dos solos, meteoróides sísmicas, fluxo de calor, variação lunar, campo magnético solar e eólica. Apollos 7 e 9 testaram a nave espacial em órbita da Terra; Apollo 10 orbitou a lua como um ensaio geral para o primeiro desembarque. Uma explosão no tanque de oxigênio força a Apollo 13 a cancelar o seu desembarque, mas o resolver “não pode fazer” a missão, transformou os problemas da tripulação e de controlo da missão em um “sucesso fracasso.” Para saber mais acesse NASA

Apollo 15, o Módulo Lunar Falcon no campo Hadley-Apeninos . Crédito: NASA

Apollo 15, o Módulo Lunar Falcon no campo Hadley-Apeninos . Crédito: NASA

Da Esquerda para direita: Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin.

Da Esquerda para direita: Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin. Crédito: NASA

Anúncios

DEFICIÊNCIAS Mario Quintana

Quintana DEFICIÊNCIAS – Mario Quintana

(escritor gaúcho, 30/07/1906 – 05/05/1994 )

Deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as
imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.
Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no     fim do mês.
Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
Diabético é quem não consegue ser doce.
Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
Miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus.
“A amizade é um amor que nunca morre. ”

NeVarieturQuintana