Desativar hibernação no Windows 7,8 e 10

A hibernação é um recurso útil salva o estado atual do seu computador para que você possa desligá-lo, ou seja, colocar para hibernar e continuar o trabalho mais tarde. Mas se você não usa ou não necessita de hibernar pode desativar esta função e liberar espaço no HD .

Quando usamos a função hibernar o computador salva todo o conteúdo presente na memória RAM do computador no disco rígido para que nenhum dado seja perdido, portanto, o sistema reserva um espaço no HD proporcional a quantidade de memória instalada no micro. Exemplificando, caso seu computador tenha 4 GB de RAM, é possivel liberar até 4 GB no HD.

Para os usuários de Ubuntu ou outra distro desativar vai ser muito útil porque a função hibernação atrapalha na montagem de partições ntfs no Ubuntu, impedindo sua montagem automática.

Para resolver faça assim:

A hibernação do Windows 10 e 8 não é diferente do Windows 7  e vem habilitada por padrao.

Presione a Tecla Windows + X e execute como Administrador o Prompt de comando.

Com o Prompt aberto digite:  powercfg -h off e pressione enter.

Agora a hibernação no Windows 8 esta desativada.

Este método funciona nas versões anteriores também. Essa é uma boa dica pra quem  quiser ganhar algum espaço em disco na partição do sistema operacional.

Anúncios

Firefox: Mecanismo de busca da barra de endereços[update]

Firefox: Mecanismo de busca da barra de endereços[update]
update de 29/03/2014

O Firefox mudou muito desde que escrevi este post Firefox: Alterando mecanismo de busca da barra de endereços, então resolvi publicar também como novo post a fim de facilitar as pessoas com uma nova forma de recuperar sua barra de endereços .

Digite lá na barra de endereços: about:config

Confirme “Serei cuidadoso, prometo”

Depois na barra localizar: browser.search.default

Vai aparecer : browser.search.defaultenginename padrão sntring Google

Se não estivcer escrito Google clique em cima desta linha, uma caixa de texto vai aparecer, então clique em restaurar padrão. De ok e pronto.

Após este procedimento acima, digite em localizar: browser.search.order.

Vai aparecer:
browser.search.order.1 padrão string Google
browser.search.order.2 padrão string Yahoo
browser.search.order.3 padrão string Bing

Caso esteja exatamente assim não faça nada, apenas feche a aba e pronto. caso algum dos ítens, order.1, order.2 e order.3 estejam alterados, clique em cima da linha e altere como já foi explicado.

Dê ok e pronto feche a aba e seja feliz.

Espero que dê certo e ter ajudado.

BLOG DO ALUIZIO AMORIM QUE DENUNCIA GOLPE DO PLEBISCITO ALCANÇA MAIS DE 33 MIL COMPARTILHAMENTOS NO FACEBOOK!

http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2013/06/post-do-blog-do-aluizio-amorim-que.html?m=1

Artigo: “Não se cura tuberculose por decreto” | Brasil 24/7

“Não se cura tuberculose por decreto” | Brasil 24/7

http://www.brasil247.com/+vbfy2

Olavo de Carvalho – Por que o socialismo não pode dar certo? – True Outspeak – 18/07/2012 – YouTube

Olavo de Carvalho – Por que o socialismo não pode dar certo? – True Outspeak – 18/07/2012 – YouTube.

 

20 DE MAIO: O ANIVERSÁRIO DE JERUSALÉM

Por Osias Wurman, Jornalista

A todos que praticam a fé monoteísta, sejam judeus, católicos ou muçulmanos, a cidade de Jerusalém, lembrada e cantada como sagrada, eterna, de ouro e da paz, é um dos maiores e mais antigos tesouros da religiosidade, tendo sido palco dos mais importantes eventos para estas religiões.

Para os judeus, a capital do Reino de David, que conquistou Jerusalém há mais de três mil anos, abriga as ruínas do templo do Rei Salomão, considerado o local mais sagrado do judaísmo.

Segundo a tradição judaica, foi deste local que o Criador coletou o pó da terra para fazer surgir o primeiro ser humano a sua semelhança: Adão. Foi, também, onde seu filho Caim matou por inveja seu irmão Abel.

O local também foi palco de uma das mais importantes passagens bíblicas que relata a lealdade do patriarca Abraão a Deus, quando levou seu filho Isaac para sacrificá-lo em louvor ao Senhor.

Para os muçulmanos, a Mesquita de Omar, construída sob o espaço outrora ocupado pelo Grande Templo, representa o terceiro mais sagrado local depois de Meca e Medina. Conta a tradição muçulmana que o profeta Maomé teria subido deste local para os céus.

Para a fé cristã, a Igreja do Santo Sepulcro marca o local onde Jesus foi crucificado e ressuscitou. Na população atual da cidade encontramos uma acentuada predominância de judeus.

Ao longo de três milênios, os judeus foram o único povo a considerar esta cidade como sua capital política e espiritual. Mesmo durante os 2.000 anos de exílio judaico, sempre existiram grupos de seguidores das leis mosaicas morando em Jerusalém.

Para comprovar textualmente a importância de Jerusalém para os judeus, comparada com as coirmãs monoteístas, basta contar as 657 vezes em que é citada no Velho Testamento, 154 vezes no Novo Testamento e sem menção no Corão.

Independentemente da notória prevalência judaica nas raízes desta sagrada cidade, cabe às três religiões o mesmo direito de livre acesso e de auto-administração de seus locais sagrados, seguindo rigorosamente os ditames, de suas crenças.

É para garantir este estado de liberdade de acesso e segurança total que o Governo de Israel insiste em manter a soberania política sobre a totalidade da região. Vale lembrar que até julho de 1967, quando a Cidade Velha foi liberada do domínio jordaniano, durante a Guerra dos Seis Dias, os locais sagrados para os judeus, como o Muro das Lamentações, eram mantidos em péssimas condições de manutenção e proibido o acesso de israelenses a estes locais. Até sanitários existiam defronte às ruínas do Grande Templo de Salomão.

Um episódio histórico serve para ilustrar, com clareza, a filosofia dos governantes de Israel com relação às outras religiões da região. Durante os ferozes combates na Velha Jerusalém, em 1967, o comandante-em-chefe das tropas israelenses, general Moshé Dayan, considerado o maior herói militar do Estado de Israel, ao chegar ao Muro das Lamentações com suas tropas, avistou uma bandeira com a estrela de David tremulando no topo da Mesquita de Omar. Imediatamente chamou seu ajudante de ordens e ordenou a retirada sumária da bandeira de Israel, alegando tratar-se de um desrespeito aos muçulmanos.

Esta vem sendo a postura da unanimidade dos governantes israelenses que lhe sucederam nos anos que se passaram. Predominância do respeito a todas as religiões.

Todos os locais sagrados estão situados na Cidade Velha de Jerusalém, que, atualmente, representa menos de 1% da área total da cidade.

A proposta de dividir ou internacionalizar a cidade é, portanto, absolutamente desnecessária e inaceitável para Israel, que ali mantém sua capital, e que vem garantindo o livre acesso e a ordem interna.

A importância desta cidade para o povo judeu já era cantada nos Salmos que dizem: “Se eu te esquecer, Jerusalém, que minha mão direita esqueça sua perícia.”

Indiscutivelmente a Cidade Velha de Jerusalém, pela sua história de fé e devoção — conta hoje com mais de dois bilhões de seguidores em todo o mundo — pertence a todos os povos amantes da paz e deve permanecer eternamente sob a custódia dos que sabem respeitá-la: os descendentes da religião do Rei David.

 

Fonte: Rua Judaica

NASA,Vídeo incrível: explosão solar gigante erupção de superfície do Sol

Cortesia: NASA
NASA lançou imagens de uma explosão poderosa de energia solar que desencadeou uma erupção de plasma super-aquecida a partir da superfície do Sol em direção ao espaço. A explosão foi registrada pela nave do Observatório de Dinâmica Solar (SDO), da Nasa. Trata-se de uma missão de cinco anos da agência voltada para o estudo do Sol. A NASA descreveu a erupção como “É erupção de destaque uma bela produção de  ejeção de massa coronal”, conhecido como CME. Não foi dirigido em direção à Terra. CMEs extremamente poderosos podem representar um perigo para os astronautas e os satélites no espaço, bem como redes de energia, navegação e sistemas de comunicações na Terra.

O vídeo foi compilado na segunda-feira, 16 de abril de 2012, em uma luz ultravioleta. Ele abrange quatro horas de atividade do Sol.