NetBook do Google? GoogleBook?

Estão surgindo boatos de que o Google estaria preparando não apenas um Sistema Operacional, o Chrome OS, mas também um netbook com especificações especialmente criadas para rodar o Chrome OS, que tem previsão de lançamento no útimo trimestre de 2010.

Segundo o jornal International Business Times, o “netbook do Google” chegaria ao mercado no final de 2010, a tempo para a temporada de compras de fim de ano, que nos EUA se inicia no final de Novembro e se estende até a véspera do Natal. De acordo com o jornal, a máquina seria vendida diretamente pelo Google aos usuários finais, com um preço estimado em “menos de US$ 300”. Nos EUA, poderão ocorrer parcerias com operadoras de telefonia, com preços subsidiados mediante adesão a um plano de dados.

O “Googlebook” teria em seu coração um processador NVIDIA Tegra (baseado na arquitetura ARM) de baixo consumo e otimizado para reprodução de mídia, acompanhado de 2 GB de RAM, interfaces de rede wi-Fi, 3G, Ethernet e Bluetooth, uma tela de 10.1 polegadas e 64 GB de espaço em “disco” em uma unidade SSD.

Parece que a gigante de buscas tá com vontade de balançar o mundo da informática com seu conceito de computação em nuvem. Apple e Microsoft que se cuidem, poirque se a coisa for verdade e a máquina for bem aceita pelo público, principalmente o corporativo, poderemos vivenciar novos rumos na tecnologia da informação, talvez até uma troca de poder.

Saiba mais (tecnologia.ig.com.br).

Zune para Mac e Linux!


Notícia divulgada no Jornal Tecnologia, reproduzo abaixo a notícia,bem interessante.

A Microsoft está considerando se ela deve oferecer o Zune e seus serviços para outras plataformas, incluindo a Apple, afirmou a analista Mary Jo Foley nesta terça.Jose Pinero, diretor de comunicações, disse à Foley que não há garantia de que isto irá acontecer, porém é uma das estratégias que a empresa de Redmond está considerando.“O Zune é um serviço de música e vídeo da Microsoft. E só isso.” disse Pinero. Segundo a analista da ZDNet, isto significa que o futuro do Zune é no ramo de software e serviços e não no de hardware.

Penso que o motivo para esta decisão,caso se efetive, é bem simples,nada a ver com ser ou não bonzinhos,são apenas negócios,e eles sabem muito bem que com a expansão dos dispositivos móveis ( nem vou falar no iphone,a maioria por aqui não tem grana pra bancar um e menos ainda mantê-lo!) a demanda por música e vídeo vai aumentar muito e com isso obten-se mais propaganda,mais market share,mas dinheiro no bolso,além de eventualmente se passar por boazinha.
Além disso a Apple já começou a olhar melhor para nós lançando oficialmente no Brasil a sua Apple Store, tem de tudo lá, menos música e vídeo, e este movimento da Apple não pode ser ignorado,a microsoft não é boba e de marketing eles entendem muito bem.
Já pensou,Zune disponível para usuários de qualquer sistema operacional? Linux,MacOSX,etc? Se acontecer qual será a reação da Apple? Vou esperar tranquilamente e torcer para acontecer e os efeitos da concorrẽncia beneficiarem a nós,usuários. 🙂

SplahTop Linux

Uma notícia muito boa,divulgada na geek.com.br. Reproduzo abaixo.

Nova versão do SplahTop Linux será embutido em placas-mãe de PCs corporativos

Sistema dá acesso ao Outlook e ferramentas corporativas, além de permitir a construção de estações de trabalho “Thin Client” de baixíssimo custo.

Por Antonio Blanc

A empresa norte-americana DeviceVM anunciou uma versão de seu ambiente Linux leve SplashTop, voltada aos usuários corporativos. O SplashTop é equipado com todos os drivers necessários para a máquina onde está instalado, além de softwares para a web como o Firefox e Skype e um media player. O sistema, de início rápido, virá embutido em um chip na placa-mãe.

Já usado em modelos da ASUS, Lenovo, Acer, Sony e LG, o SplashTop é capaz de colocar um usuário na internet em apenas 30 segundos, deixando-o “pronto para trabalhar” em muito menos tempo que o Windows levaria para inicializar (dois minutos ou mais, dependendo da máquina). A versão corporativa, batizada de SplashTop Business, tem recursos únicos como integração com o Microsoft Outlook, suporte a conexões via 3G, rede cabeada e Wi-Fi, suporte a soluções de virtualização como Citrix e VMWare e segurança reforçada.

Na prática o software permitirá que as empresas instalem estações de trabalho sem disco rígido, a preço baixíssimo, trabalhando como “Thin Clients” com acesso a recursos de TI internos e aplicativos e serviços na Web, o que reduz custos com hardware, configuração e manutenção. É possível, por exemplo, configurar o Thin Client para trabalhar como terminal remoto de um servidor Windows – o usuário nem percebe que está trabalhando em um Linux.

Segundo a DeviceVM, a nova versão corporativa do SplashTop estará disponível em máquinas “dos três maiores fabricantes de PCs” até o final do ano. A Dell é uma das empresas que já demonstrou oficialmente interesse no produto.

www.geek.com.br

Google Chrome OS, perspectivas!

google-chrome-300x289Todo mundo já sabe que o Google vai lançar um sistema operacional em 2010. Mas muitas questões surgem em nossa cabeça, afinal para cerca de 90% dos usuários de computadores espalhados pelo mundo só existe um tipo de sistema, que a maioria dos mortais alheios ao mundo da tecnologia e dos Geeks, pensa ser o próprio computador, algo parecido com a televisão ou o dvd da sala, onde o sujeito liga e tudo está lá pronto e funcionando e este sistema chama-se Windows.
A lei do menor esforço será o grande obstáculo para o Google Chrome OS.
Por que mudar de sistema operacional se o que estou usando cumpre facilmente todas as minhas necessidades? A questão é que as pessoas não se interessaram, pelo menos por aqui no Brasil e em outros países em desenvolvimento acredito, onde a grana para a sobrevivência é curta,escassa, ficar trocando de sistema operacional só porque é moda. As pessoas querem é simplesmente navegar, conversar através do msn, escrever seus textos e para isso sempre lembram do word, ver as famigeradas apresentações bonitinhas e emocionantes do power point, e por aí vai, com isso os aplicativos do windows e o próprio windows, não importa a versão, se tornou mais do que ele é, mais do que uma marca, se tornou um estilo de vida, coisa que o Google Chrome OS, não é. E o simples fato do Google Chrome OS ser diferente e minimalista pode assustar e afastar o usuário comum e as vendas não emplacarem, mesmo com o apoio de algumas industrias de hardware. Ou então pode acontecer o que se passa hoje com o linux, o pessoal compra e quando chega em casa descobre que não tem msn, word, powerpoint, internet explorer, emule, media player, e simplemente chama o técnico da esquina para formatar e instalar o windows prirated edition. Simples assim. Esta é a realidade cruel que penso e os executivos e investidores tem estar preparados, sem falar na reação da Microsoft que pode ser imprevisível e agressiva, afinal comvenhamos, em matéria de marketing eles são muito bons e de parcerias também, podendo assim limitar a expansão do Google Chrome OS.

O fato de ser gratuíto não acredito que vai converncer um grande número de usuários, se isto fosse um atrativo o Linux já teria deslanchado.

Também tenho minhas restrições quanto a cloud computing, computação em nuvem, ou seja, a idéia dos desenvolvedores do Google Chrome OS é que a partir da janela do seu navegador de internet, que será o deles claro, o Google Chrome que quase ninguém usa, o indivíduo possa acessar seus arquivos e aplicações favoritas (que estarão na “nuvem”, on-line sempre!).
O sistema que rodará nos Netbooks, o Google Chrome OS, ou seja o navegador Google Chrome extendido a condição de sistema operacional, se tornará um sistema Operacional com uma interface simplificada que permitirá a execução de aplicações remotas de maneira mais prática. Só estão esquecendo de uma coisa, a conexão com a internet. Tudo muito maravilhoso, mas só vai dar certo com banda larga de verdade e com custo acesível, senão, além de ser obrigado a trocar de sistema operacional e de hardware o indivíduo deverá contratar um plano de banda larga, coisa que por aqui no Brasil é uma bandalheira e na maioria dos bairros ainda não tem, existe até casos absurdos de na mesma rua somente uma pessoa ter banda larga e o restante não, e a explicação disto é sempre a mesma: imposibilidade técnica. Nem vou citar os planos sem fio das operadoras de telefonia celular porque é desperdício, eles simplesmente não funcionam corretamente fora dos grandes centros urbanos, as vezes até mesmo o sinal do celular é ruim. Todo o serviço de telecomunicação deste país é ruim e extremamente caro, fora de realidade salarial da maioria das pessoas e a ANATEL não faz o dever de casa. Com todos estes obstáculos não acredito no sucesso do Google Chrome OS por aqui, claro que não será lançado tão cedo no Brasil, deve chegar por aqui no segundo semestre de 2011, como aconteceu com o iphone da Apple. Outra “software house” que não deve ficar parada vendo o Google Chrome OS fazer a festa e tentando abocanhar uma fatia do mercado de sistemas operacionais.

Alguns podem argumentar que eu estou enganado, porque com o Google Gears, poderemos manter as informações no computador, sem ter acesso á Internet. Então, mesmo que o indivíduo esteja sem conexão, poderá atualizar documentos, posteriormente eles serão automaticamente enviados para a “nuvem” assim que a conexão com a internet for restaurada. Entretanto, acredito que este tipo de coisa não vai de imediato, mas sim a longo prazo, agradar as pessoas, mesmo no meio técnico muita gente ainda não se sente confortável em depender 100% da conectividade com a web. Mesmo para trabalhar localmente teremos que ter aplicativos instalados no computador, em um HD tradicional ou memória flash, senão torna-se imposível atualizar os documentos offline, porque os aplicativos necessários estarão na nuvem, mas a nuvem estará dissipada e nós chupando dedo! Percebeu os obstáculos? E a coisa não para por aí, tem mais, muito mais. Continuemos.

Com qual empresas o Google está trabalhando para apoiar o Google Chrome OS?
A idéia é proporcionar uma extraordinária experiência ao usuário final. Entre outras, estas empresas incluem a Acer, Adobe, ASUS, Freescale, a Hewlett-Packard(HP), Lenovo, Qualcomm, Texas Instruments, e Toshiba. Tá faltando alguém? Também acho. E a Dell? ATI? Nvidia? A Intel também não está na lista!

Eu criei uma pequena lista com os obstáculos em relação ao hardware, são ítens que normalmente as pessoas gostam de ver funcionando imediatamente e com facilidade.

Outras perguntas que não querem calar:

1 – Minha Impressora multifuncional vai funcionar?
2 – Minha câmera vai ser reconhecida pelo Google Chrome OS?
3 – Meu celular/Smartphone/etc serão reconhecidos pelo Google Chrome OS?
4 – Vai ser possivel sincronizar minha TV Full HD com meu micro rodando este Google Chrome OS?
5 – Minha Placa de Rede vai funcionar neste Google Chrome OS?
6 – Meu modem adsl vai funcionar no Google Chrome OS?
7 – Meu modem para linha discada vai funcionar neste Google Chrome OS? (é, tem muita gente qua ainda usa discada pessoal,estamos no Brasil!!!)
8 – Minha WebCam vai funcionar nesteGoogle Chrome OS?
9 – Minha placa de vídeo vai funcionar neste Google Chrome OS? (nvidia e ati estão dispostas a investir neste OS?)
10 – O gerenciamento de energia do pc,laptop,netbook,etc vão funcionar neste Google Chrome OS?

Então pessoal, sinceramente eu não estou nem um pouco entusiasmado, sou fã do google e utilizo vários dos seus serviços, através do Linux,sou usuário do Linux desde 2004, mas sem parceiros de hardware, o Google Chrome OS não será nada! E com relação a isto a Microsoft e a Apple são experts no assunto. Vai ser difícil fazer frente a Microsoft e a Apple, que tem parcerias consagradas já faz mais de uma década. O ano de 2010 está às portas, a notícia é puro marketing, só isso, o Google está tentando atrair investidores e fabricantes para si causando um frenesi com a notícia, no mundo real, não significa muita coisa, as pessoas vão continuar acessando a web e a maioria com seu windows sem se preocupar com Google Chrome OS.
Em 2010 este sistema não estará pronto o suficiente e mesmo que esteja dependerá de boa conectividade disponível aos usuários e facilidade para plugar os periférios e funcionar facilmente senão o técnico e até as lojas que vão vender os Netbooks com Google Chrome OS, oferecerão para formatar o HD( vai ter um certo?) e instalar a versão alternativa do windows. Para a Apple talvez não incomode muito no início porque o público dela é fiel e exigente. Para o usuário de desktop do Brasil e do restante dos países ditos “em desenvolvimento”, “Windows XP pirated edition” continuará sendo o mais utilizado por muito anos, infelizmente!

A sorte está lançada e apesar de liderar o mercado de buscas com 65% de participação em junho, o Google tem tentado incomodar a Microsoft já faz algum tempo. lançando um sistema operacional este será o quinto elemento nesta disputa, que inclui o pacote de produtividade online Google Apps – que não é mais “beta” ganhando melhorias para atrair usuários corporativos – contra o Microsoft Office, o sistema operacional open source Android para dispositivos móveis, que vem concorrendo com o Windows Mobile, o Gmail disputando com Hotmail e matando o Outlook com novas funções e o GTalk correndo atrás do MSN Messenger, líder absoluto dos comunicadores instantâneos.

A Microsoft terá de avançar lançando sem atrasos o Windows 7 e ainda apresentar o trabalho que tem sido feito sobre o “Azure”,o sistema operacional da Microsoft baseado na computação em nuvem. Também não pode bobear com a versão online do Office Web

O Azure e o Office Web poderão ser apresentados na próxima segunda-feira (13/7) durante o evento anual Worldwide Partner Conference, da Microsoft, em Nova Orleans, nos Estados Unidos, segundo rumores que circulam no mercado.

Para finalizar sinceramente esperamos que o Google Chrome OS seja um sucesso, desejo ver um dia o mercado de sistemas operacionais mais bem dividido, com Windows, OSX, Linux, Unix, BSDs, sem monopólios, cada um com sua fatia numa concorrência saudável que proporcionará um maior desenvolvimento tecnológico que beneficiará enormemente aos usuários comuns, as empresas, instituíções de ensino e pesquisa e aos governos.

Texto divulgado no Blog:

BlogspotBanner1

Código-conceito malicioso capaz de se alojar na BIOS

Notícia interesante divulgada no G1 reproduzida abaixo na íntegra:

“A conferência de segurança CanSecWest, que terminou na semana passada, reuniu pesquisadores do mundo todo para demonstrar novas técnicas de segurança e invasão. Lá, dois argentinos mostraram como é possível armazenar um código malicioso permanente na BIOS (Sistema Básico de Entrada e Saída) da placa-mãe, um local antes considerado seguro contra pragas digitais.
Também no resumo de notícias dessa semana: praga digital infecta modems ADSL e roteadores; dispositivos móveis saem ilesos de competição na CanSecWest; atualização do Java corrige brechas de segurança.

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados, etc), vá até o fim da reportagem e deixe-a na seção de comentários. A coluna responde perguntas deixadas por leitores todas as quartas-feiras.

>>>> Pesquisadores demonstram ataque que se aloja na BIOS
Dois pesquisadores argentinos da empresa de segurança Core Security Technologies demonstraram um código-conceito capaz de se alojar na BIOS (Sistema Básico de Entrada/Saída) da placa-mãe do computador. Anibal Sacco e Alfredo Ortega fizeram a apresentação durante a conferência de segurança CanSecWest, na semana passada.

Como o código é executado a partir da placa-mãe, reinstalar o sistema operacional ou mesmo reformatar o disco rígido não é suficiente para remover o programa indesejado. Os programa gerado pelos pesquisadores consegue ler e alterar arquivos presentes no disco rígido a partir da BIOS.

Especialistas conseguiram injetar um código no sistema da placa-mãe do computador, diferentemente dos vírus comuns, que se alojam apenas no disco rígido. (Foto: Divulgação)

Até hoje não se tem notícia de nenhum código malicioso capaz de usar a BIOS para infectar o sistema. Algumas pragas digitais, como o CIH (também conhecido como Chernobyl) e o MagiStr tentavam zerar o conteúdo da memória onde é armazenada a BIOS, o que fazia com que o computador não inicializasse mais. Os pesquisadores, no entanto, conseguiram inserir seu próprio código na BIOS, em vez de danificá-la.

O ataque independe do sistema operacional. Na demonstração, os pesquisadores infectaram a BIOS a partir do Windows e do OpenBSD. Eles também obtiveram sucesso na tentativa de modificar a BIOS de uma máquina virtual — como são chamados os computadores “virtuais” que rodam em apenas um único hardware, mas com sistemas operacionais distintos. Nesse caso, a BIOS do computador físico não era afetada, mas todas as máquinas virtuais eram infectadas.

Os pesquisadores dizem ser preciso mais pesquisa para que possa ser criado um vírus “camuflado” — ou rootkit — que reinfecta silenciosamente o computador sem que o usuário perceba. Uma praga digital assim seria muito difícil de ser eliminada, ou mesmo detectada.

A prova da possibilidade de ataques persistentes usando a BIOS chega mais de dois anos depois de outra pesquisa que demonstrou a possibilidade de instalar pragas digitais em placas PCI, em novembro de 2006.

Mesmo depois de tanto tempo, nenhum vírus real fez uso dessa técnica para se alojar em placas PCI. O mesmo pode ser esperado desta, a não ser que códigos prontos sejam disponibilizados para facilitar a integração dessa funcionalidade nas pragas digitais.

Os pesquisadores não informaram se os chips de computação confiável (Trusted Platform Module), já incluídos em alguns computadores mais recentes, dificultam a realização do ataque ou mesmo sua identificação. Os slides usados na apresentação estão disponíveis na internet em PDF.

>>>> Praga se espalha por modems ADSL e roteadores que rodam Linux
Pesquisadores da DroneBL anunciaram esta semana a descoberta de um vírus que se espalha por modems ADSL e roteadores cujo sistema é baseado em Linux (arquitetura MIPS). Batizada de “psyb0t”, a praga tira proveito de senhas fracas configuradas nos equipamentos e em vulnerabilidades existentes em firmwares — como é chamado o software que opera o modem — desatualizados.

O OpenWRT é um dos sistemas afetados, mas apenas se a configuração padrão foi modificada para permitir gerenciamento fora da rede interna. (Foto: Reprodução)

A grande maioria dos modems não é afetado. Muitos equipamentos não rodam Linux, e mesmo entre os que rodam, a configuração padrão costuma não permitir o acesso remoto ao painel de administração — necessário para que o vírus se propague. No Brasil, prestadoras de serviço ADSL costumam bloquear as conexões que o vírus necessita, o que colocaria apenas utilizadores de conexões empresariais em risco.

Para verificar se o seu modem foi afetado, basta tentar entrar no painel de administração. Se a tela de login, pelo menos, aparecer, não há infecção, pois o vírus bloqueia o acesso. Se o aparelho estiver infectado, basta realizar um “hard reset” no modem e configurá-lo de forma adequada.

A praga digital captura senhas e usuários por meio da análise do tráfego que passa pelo modem e forma uma rede zumbi, capaz de realizar ataques de negação de serviço, entre outros. O site da DroneBL está sob ataque, o que levou os pesquisadores à descoberta.

O psyb0t ataca apenas roteadores e modems que usam Linux. Computadores comuns e servidores não estão em risco.

>>>> Dispositivos móveis saem ilesos de competição
A Pwn2Own, competição de segurança realizada na conferência de segurança CanSecWest, no Canadá, colocou navegadores web e dispositivos móveis lado a lado para que especialistas em segurança pudessem demonstrar falhas ainda desconhecidas para invadi-los. Nos navegadores web, apenas o Chrome sobreviveu. Porém, todos os dispositivos móveis participantes — BlackBerry, Android, iPhone, Symbian e Windows Mobile — saíram ilesos.

Os navegadores Internet Explorer, Firefox e Safari foram comprometidos já no primeiro dia. Um pesquisador alemão que se identificou apenas como “Nils” conseguiu quebrar a segurança dos três navegadores. Antes dele, Charles Miller havia obtido acesso ao computador com Safari, tornando o navegador da Apple o único que foi atacado com sucesso duas vezes. O navegador Opera não participou da competição.

Os dispositivos móveis sofreram poucas tentativas de ataque, e as poucas não tiveram sucesso. Segundo a TippingPoint, cujo programa Zero Day Initiative (ZDI) patrocina o evento, a edição do ano que vem contará novamente com dispositivos móveis, porém os modelos exatos a serem usados serão divulgados com mais antecedência, para permitir que os interessados testem seus códigos antes de ir na competição, onde cada um tem apenas 30 minutos.

>>>> Nova versão do Java corrige problemas de segurança

Configurações de atualização do Java estão disponíveis no Painel de Controle. (Foto: Reprodução)

A Sun lançou o Java Runtime Environment (JRE) 6.0 Update 13 e o 5.0 Update 18 para solucionar dois problemas de segurança. A atualização do JRE é importante porque ele pode ser chamado pelo navegador web, permitindo que páginas web maliciosas sejam capazes de tirar proveito das brechas existentes no Java.

O JRE inclui um mecanismo de atualização automática. Basta aceitá-la quando aparecer o aviso sobre uma nova versão do Java, perto do relógio do Windows.

Assim termina o resumo das principais notícias desta semana. Na segunda-feira (30), a coluna volta para falar sobre os vírus que, como essa nova pesquisa dos pesquisadores argentinos, expandiram o conceito de “código malicioso”. Bom fim de semana a todos!

* Altieres Rohr é especialista em segurança de computadores e, nesta coluna, vai responder dúvidas, explicar conceitos e dar dicas e esclarecimentos sobre antivírus, firewalls, crimes virtuais, proteção de dados e outros. Ele criou e edita o Linha Defensiva, site e fórum de segurança que oferece um serviço gratuito de remoção de pragas digitais, entre outras atividades. Na coluna “Segurança para o PC”, o especialista também vai tirar dúvidas deixadas pelos leitores na seção de comentários. Acompanhe também o Twitter da coluna, na página http://twitter.com/g1seguranca. ”

Supercomputador IBM de 30 petaflops vai rodar Linux!

“EUA contrata IBM para construir maior supercomputador do mundo.
O governo dos Estados Unidos contratou a IBM para construir um supercomputador com mais potência que todos os listados na lista Top 500 dos maiores supercomputadores do mundo.

O sistema Sequoia é uma proposta ambiciosa para a IBM. Com capacidade de 30 petaflops, ele será usado pelo Departamento de Energia dos EUA em suas pesquisas de matérias-primas nucleares. Os sistemas mais rápidos hoje alcançam 1 petaflop, um êxito notável atingido apenas ano passado.

É o maior salto de capacidade de computação já realizada”, disse Mark Seager, assistente do departamento de tecnologia avançada do Lawrence Livermore National Laboratory, na Califórnia, onde o sistema será montado. Ele deve começar a funcionar em 2012.

Na verdade, a IBM está construindo dois supercomputadores com este contrato. O primeiro será entregue no meio deste ano, chamado Dawn e irá operar em cerca de 500 teraflops. Será usado pelos pesquisadores, para ajudá-los a preparar o sistema maior.

O Sequoia usará aproximadamente 1,6 milhão de núcleos de processadores, todos chips da IBM, executando Linux – sistema que domina a computação de alta performance. Apesar de a configuração final do chip não ter sido determinada ainda, o sistema terá memória de 1,6 terabytes e será hospedado em 96 estantes do tamanho de uma geladeira. O custo final do sistema não foi revelado.

Patrick Thibodeau, editor da Computerworld, dos EUA”

Fonte: BR-Linux , IDGNow

Ranger: 504 TeraFlops – O maior supercomputador do mundo

Esta notícia foi diulgado hoje pelo BR-Linux.org,considerei muito interessante e resolvi reproduzir aqui.Não há muito o que falar,os números são astronômicos e falam por si mesmos. A partir disso acabei descobrindo dois blogs bastante interessantes ambos da sun e em pt-br,um é o blog do Jonathan Schwartz – Chief Executive Officer and President Sun Microsystems, Inc. ,o outro é o TAI – Tecnologia Aberta da Informação.Para conhecer os blogs clique Jonathan Schwartz e TAI.
Abaixo um resumo da notícia,só para sentir o gostinho.

“O Ranger é com seus 504 TeraFlops atualmente o maior supercomputador do mundo (em breve ele estará no top500.org) e está instalado no TACC (Texas Advanced Computer Center). Ele é todo baseado em tecnologia aberta da Sun Microsystems e roda o CentOS Linux. Eu também recomendo a leitura desse post (em português) do Jonathan Schwartz sobre o Ranger para entender mais sobre as motivações por trás da supercomputação.”

Mais um resumo,do blog TAI

“Inaugurado oficialmente no dia 5 de Março de 2008, o Ranger já é considerado o maior supercomputador do mundo atualmente, com 504 TFlops(ainda será rankeado no Top500.org nos próximos meses), instalado no TACC (Texas Advanced Computer Center), na Universidade do Texas em Austin. Este centro foi fundado pela National Science Foundation e tem como compromisso fornecer serviços de supercomputação em larga escala a qualquer pesquisador ou cientista nos Estados Unidos.

Como surgiu o Ranger? Ele foi o resultado de um compromisso com a ciência básica do National Science Foundation, um grupo de pessoas entusiasmadas da Universidade do Texas, inspirado por Jay, um motivado líder técnico, e de compromissos da excepcional (realmente excepcional) equipe do TACC, funcionários da Sun e da AMD, com todos os três grupos numa correria louca para colocar tudo de pé em tempo recorde – como a maior instalação de supercomputação aberta do mundo. A maior do mundo, multiplicado por 4….”

Para finalizar e ter uma idéia da importância real do Ranger, dê uma olhada na tabela abaixo (clique para ir para a versão original):


Caso tenha problemas clique aqui para ver o imagem no site original e com mais detalhes.