Skip to content

O porquê de usar Slackware

09/11/2008

Navegando nas águas profundas e misteriosas da web com meu Slackware-Current numa tarde nublada de domingo,eis que me deparei com este excelente artigo,cuja idéia de reproduzir foi apenas de ajudar a divulgar um pouco mais o Slackware e o Linux de forma geral dando os devidos créditos ao autor do texto,do site:
http://www.hlegius.pro.br/category/linux/slackware/
Que reproduzo na íntegra logo abaixo:

“Salve!

Sempre que me perguntam qual distribuição Linux que uso, eu respondo Slackware. Nessa hora, as pessoas têm várias reações diferentes, mas três delas são as mais comuns:

  • Não entendi, usa o quê ?
  • Eita, Slackware ? Você é louco, meu!
  • Slackware ? Nunca ouvi falar…

A partir daí, cada um fala uma coisa. Uns dizem: “pára meu, é mais fera e tal porque ela tem o pega-pacote que gerencia dependências e tal.” Ou então: “aah, Slackware não é estável. A distro é melhor, pois ela tem o SuperEstável Edition com o Kernel 2.2 que é super testado e tal.

As vezes até compensa falar que no Slackware é o administrador que informa o que deve ser feito, como vai ser feito, tudo de forma simples, estável e sem frescuras. Mas tem horas que é melhor deixar quieto, pois tem cada um viu …

Como a intenção não é falar mal das outras distros, vou tentar mostrar alguns pontos bons do Slackware:

1. Nome
Slackware: Slack = Preguiçoso
O nome já diz. Você é quem manda! Ele não faz nada além do que você pede.

2. Instalador
Nada de telinhas gráficas em 3D com várias imagens e resolução minima de 1024×768 com 32bits de cor. No Slackware, o instalador é em modo texto, porém, auto-explicativo, de fácil entendimento e não dá erro de instalação no meio do processo!

3. Gerenciador de boot
Nada contra o Grub, mas o Lilo que é default no Slackware, é o mais fácil de customizar e colocar para funcionar. Sem prompt, sem instalação problemática.

4. Kernel
O kernel padrão do Slackware é preparado para rodar em máquinas iguais ou superiores à um 486!! Na versão 10.0, o padrão era 386! Ou seja, roda em qualquer tipo de máquina sem frescuras.

5. Sistema de inicialização
O Slackware usa o padrão de inicialização BSD-style. Nada contra o SysV, usado inclusive por muitas distros, mas o BSD-style realmente é ótimo!

6. O init
Por padrão o Slackware vem com o init setado para 3. Mas mesmo vindo com esse runlevel, o sistema básico vem pronto para você logar e dar um startx. Depois você decide se vai colocar KDM/GDM/XDM(runlevel 4) ou continuar no runlevel 3. (1)

7. A organização
O Slackware possui seus scripts de inicialização e daemons tudo concentrado num canto só. Esse reduto dos daemons e init-scripts está localizado em /etc/rc.d/ Nada de um pouco em /etc/init.d; um pouco em /etc/rc.d; e até as vezes em /etc/init.d/rc.d/ :S

8. Gerenciamento de pacotes
Simples, direto, funcional e sem possíveis perdas de dados da base de pacotes. O Slackware usa o pkgtool para gerenciar pacotes, e entre os scripts incluidos nesse pacote estão:

# installpkg pacote_a_ser_instalado.tgz
# upgradepkg pacote_a_ser_atualizado.tgz
# removepkg pacote_a_ser_removido

aah! Mas está faltando um script para listar os pacotes instalados!!
Calma! Esse é um script super complexo de usar! Eis o ouro:

$ ls -lah /var/log/packages

Se você quiser fazer uma busca por algum pacote em especifíco:

$ ls -lah /var/log/packages | grep nome_do_pacote

9. Resolução de dependências
Isso que é o melhor! Sem ferramentas obrigando você a instalar coisas desnecessárias, ou até remover coisas que não é para remover.

3 pacotes a baixar(mysql-pedacinhoA, mysql-cliente, mysql-pedacinhoB); 2 pacotes para atualizar(alsa-lib, kdebase-tecoA); 1 pacotes para remover (kernel-ide)

Você baixa o pacote em tgz e instala. Se ao tentar rodar a aplicação, ocorrer um erro, você pega o nome da lib faltante e faz o download dela também. Simples e totalmente funcional.

Mas hoje, há para o Slackware um pacote que gerencia os pacotes instalados e resolve dependências. Um chama-se swaret, outro, slapt-get e o outro, slackpkg criado pelo Piter Punk.
Você pode usar qual quiser, mas se tiver problemas, pelo menos no caso do slackpkg seu e-mail informando o problema ao desenvolvedor, poderá ser em português P

10. As aplicações vivem em paz com o Slackware
O Slackware vive num ambiente de paz e harmonia com seus aplicativos. Nada de forks para aplicações rodadem sobre uma distro X, nada de segmentation fault pois o pacote que você baixou do site oficial não tem aquele patch que a distro Y usa. No Slackware, você pode baixar os pacotes dos sites oficiais, compilar e gerar seu próprio tgz para manter um sistema totalmente organizado. (2)

Dicas e informações
(1) Para mudar o runlevel padrão edite o arquivo /etc/inittab
(2) Para criar seu próprio pacote em tgz, você pode criá-lo totalmente usando makepkg ou de uma forma mais rápida, porém, menos customizada usando o Checkinstall.
3. Site com diversos pacotes para Slackware: http://www.linuxpackages.net
4. Livro sobre o Slackware totalmente em pt-br: Slackbook(pt_BR)
5. Mantenham-se atualizado usando o Slackware-current. Sem esquecer de olhar também o repositório /extra e /testing e o /pasture”

From → Linux

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: